domingo, 20 de novembro de 2016

A OPINIÃO DOS OUTROS

grama, notebook, árvore, montanha, sol, opinião
Rip e Rep - A Opinião dos Outros

Rep: No fim das contas você resolveu fazer um software.
Rip: Sim, mas não sei se ficará bom.

Rep: Este protótipo está ficando muito bom. Parabéns.
Rip: Está mesmo? Ou está dizendo isso pra não me chatear?

Rep: Não devia ficar tão ansioso. Antes de mais nada, deve pensar o que você acha.
Rip: Mas e se as pessoas não gostarem?

Rep: A opinião dos outros é importante, mas vc deve formar a sua também.
Rip: Como assim? A opinião dos outros é sempre mais importante.

Rep: De jeito nenhum. Você não pode fazer as coisas na vida simplesmente seguindo a opinião dos outros.
Rip: Sério?

Rep: Sim, sempre siga minha opinião.





THE OPINION OF THE OTHERS

Grass, notebook, tree, mountain, sun, opinion
Rip e Rep - The Opinion of the Others

Rep: In the end, you resolved make a software.
Rip: Yeah, but i don't know if it will be good.

Rep: This prototype is getting good. Congratulations.
Rip: Are you? Or are you saying this so you do not piss me off?

Rep: You should not be so uneasy. First of all, you must think what you think.
Rip: But what if people do not like it?

Rep: The opinion of others is important, but you should form yours too.
Rip: As well? The opinion of others is always more important.

Rep: No way. You can not do things in life simply by following the opinion of others.
Rip: Really?


Rep: Yes, always follow my opinion.





quinta-feira, 10 de novembro de 2016

DECISÃO



prédio, calçada, núvem, rua, decisao, perturbar
Rip e Rep - Decisão

Rip: Já decidi que projeto começar. Vou escrever um software.
Rep: E você sabe fazer isso?

Rip: Não.... Já sei . Vou montar um estúdio de fotografia.
Rep: E você sabe fazer isso?

Rip: Não… Já sei. Vou moldar vasos e jarras.
Rep: E você sabe fazer isso?

Rip: Não… Você não tem nada melhor pra fazer?
Rep: Melhor que perturbar você? não...

Rep: Ninguém nasce sabendo das coisas. Basta correr atrás e aprender o que gosta.
Rip: E se eu não gostar de nada?

Rep: Procure alguém pra perturbar.
Rip olha pra frente decepcionado.



DECISION

Building, sidewalk, cloud, street, decision, pertubar
Rip e Rep - Decision
Rip: I've already decided which project to start.. I will write a software.
Rep: And do you know to do this?

Rip: No… I Already Know. I will set up a photography studio.
Rep: And do you know to do this?

Rip: No.. I Already Know. I will mold pots and jars.
Rep: And do you know to do this?

Rip: No… Do you haven’t nothing better to do?
Rep: Better than disturb you? No.

Rep: Nobody born knowing of anything. Just go after and learning about of you like.
Rip: And if i won't like about nothing?

Rep: Look for someone to disturb.




domingo, 23 de outubro de 2016

PROJETO

escritório, sala, chão, teto, projeto, sentido da vida
Rip e Rep - Projeto


Rip: Decidi. Vou iniciar um projeto.
Rep: Uau! Que legal.

Rip: Já chega de ficar olhando pro horizonte e divagando sobre o sentido da vida.
Rep: E isso ai!

Rip: O sentido da vida quem dá somos nós.
Rep: Bem lembrado.

Rip: Nada de ficar esperando as coisas acontecerem.
Rep: Muito bem.

Rip: Eu farei as coisas acontecerem.
Rep: E que projeto será, afinal?

Rep: Ainda nao pensei nisso...






PROJECT

office, room, floor, ceiling, design, meaning of life
Rip e Rep - Project


Rip: I decided. I will go initialize a project.
Rep: Uou. Very cool.

Rip: Enough of see the horizon and digressing about the sense of life.
Rep: That´s it!

Rip: The sense of life who gives are us.
Rep: Well remembered.

Rip: Nothing of waiting the things happen.
Rep: Very well.

Rip: I will make the things happen.
Rep: And that project will be, after all?

Rep: I not yet thought about it...



segunda-feira, 17 de outubro de 2016

CAPACIDADE

Saltar, tentar, penhasco, céu, alto, bom senso, capacidade
Rip e Rep - Capacidade



Rip: Às vezes quero ir além do que posso fazer. Mas não sei se sou tão capaz assim…

Rep: Não devia se preocupar tanto com ser capaz ou não. Se não tentar nunca vai saber se consegue.

Rep: Mas se tentar você vai descobrir que pode saltar cada vez mais longe.

Rep: E saltar, e saltar, e saltar…

...

Rip: Mas às vezes a gente pode perceber que não consegue antes de saltar, não é?
Rep: É, faz sentido.




CAPACITY

Jump, try, cliff, sky, tall, good judgment, ability
Rip e Rep - Capacity


Rip: Some time, i want to go beyond than i can to do. But i don’t know if i am as capable as well...

Rep: You shouldn’t not worry so much about being able or not. If you don’t try never know if you can.

Rep: But if you try you will discover that can jump increasingly far.

Rep: And jump, and jump, and jump…

...

Rip: Sometimes, we can perceive that we cannot before to jump, right?
Rep: Yep, make sense.


segunda-feira, 10 de outubro de 2016

RISCOS

rua, calçada, meio fio, parede, parados, faixa de pedestre, carro
Rip e Rep - Riscos


Rep: Precisamos chegar ao outro lado dessa rua.
Rip: Mas é muito arriscado.

Rep: Mas que riscos podem ter?
Rip: E se passar algum carro?

Rep: Tudo nessa vida tem seu risco. Imagine se deixarmos de fazer o queremos todas as vezes que tivermos medo de algo?
Rip: Mas não deveríamos usar o bom senso também? 

Rep; Claro. Mas sempre haverá ganhos e perdas. 
Se ficarmos pensando somente nas perdas nunca iremos alcançar os ganhos, não acha?
Rip: Mas a perda no caso é ser atropelado por um carro.

Rep: ...
Rip: ...

Rip: Tem uma faixa de  pedestre logo alí.
Rep: Bom senso acima de tudo.




RISKS
street, sidewalk, curb, wall standing, crosswalk, car
Adicionar legenda


Rep: We need to came to other side of the street.
Rip: But it's very risky.

Rep: But that risks can have?
Rip: if pass some car?

Rep: All in this life have your risk. Imagine if leave of to do what we want all times that we are afraid something.?
Rip: But we should not use common sense too? 

Rep; Off course. But always will be gains and losses. If we stay thinking only in losses we never reach the gains, don't think?
Rip: But the lost, in this case, is be run over by a car.

Rep: ...
Rip: ...

Rip: It has a crosswalk right there.
Rep: Common sense above all.


domingo, 25 de setembro de 2016

Mudanças

Olá.

Infelizmente essa semana não tem nenhuma história.

Eu tenho muito pouco tempo para preparar cada história. Eu só consigo desenhar durante a semana, e à noite. Geralmente eu só tenho em torno de uma hora para ficar na frente do computador.
Então pra conseguir desenhar uma história com a qualidade habitual eu acabo levando a semana inteira.
Para tentar descomplicar o processo sem perder a qualidade, estou trabalhando numa forma diferente de fazer as histórias.
Eu sempre gostei de trabalhar com modelos tridimensionais, e cheguei a trabalhar um pouco com isso, antes de me tornar desenvolvedor de software,

Hoje, brinco um pouco com modelagem 3D, mas por hobbie.

Então decidi trazer Rip e Rep para um ambiente tridimensional.

Isso não  significa que deixarei de fazer histórias em quadrinhos. Só deixarei de desenhá-las.
Estou adaptando os personagens para um ambiente tridimensional.


Acredito que dessa forma, posso minimizar o meu tempo. No início dá muito trabalho, mas depois que estiverem prontos fica fácil lidar com eles.

Rip, 3D, tridimensional, 3D blender, progresso, personagem
Rip 3D em progresso

Rep, 3D, tridimensional, 3D blender, progresso, personagem
Rep 3D em progresso

O trabalho ainda está em progresso.
Ainda não tenho previsão de término, pois meu tempo está curtíssimo. Mal tive tempo de escrever esta postagem.
Vou tentar atualizar o progresso deste trabalho aqui no blog.









domingo, 28 de agosto de 2016

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

segunda-feira, 15 de agosto de 2016

ESPERANDO

placa; rua; calçada; ônibus; esperando; gostar; aonde; andando; parado; vida; filosofar;
Rip e Rep - Esperando


TEXTO DESCRITIVO


Rip estava de pé na calçada. Olhava pro horizonte ao lado de uma placa que ela quase não reparava. Seguiu até o amigo para perguntar.


Ao parar em frente a ele, sentiu que ele notou sua presença, mas preferiu continuar olhando na mesma direção. Como se tivesse receio de que, assim que tirasse a vista de onde estava olhando, fosse perder algo muito importante. Sentiu-se como se não estivesse mais aguentando para perguntar. Mas a quem queria enganar? Se dirigiu até ele já com a curiosidade e o desejo de fazê-lo: “Por que está parado aí?”


Confirmando o que Rep imaginara, Rip realmente notou ela chegando. Agiu naturalmente sem surpresa alguma na pergunta dela, já esperava: “Estou esperando o ônibus da minha vida. Quero chegar a algum lugar, mas ele nunca vem”, respondeu.


Rep então se  tocou. A placa ao lado de Rip está um ponto de ônibus. Ele realmente estava esperando algo e não podia perder quando este chegasse. Mas não aturou toda aquela filosofia boba. Sentiu-se como se o pouco tempo que parou ali, se questionando e ouvindo, fosse um tempo perdido em vão. Que nunca mais voltaria. Simplesmente continuou andando. A partir daquele momento, preferiu ignorar o que se passava ali.

Rip ficou consternado. No fundo queria alguém para ouví-lo. Realmente filosofava. E um filósofo sem público é como uma caneta sem papel. Queria Rep para ouvir seus pesares enquanto esperava pelo tal ônibus que finalmente ia fazê-lo seguir sua vida. Mas ela marchou sem olhar pra trás e encerrou aquilo que seria um tedioso mOnólogo com uma única frase: “Não gosto de esperar”.



WAITING
board; Street; sidewalk; bus; waiting; to like; where; walking; stopped; life; philosophize;
Rip e Rep - Waiting

domingo, 7 de agosto de 2016

AS FOLHAS

As Folhas


TEXTO DESCRITIVO

Rip e Rep continuavam sentados encarando a floresta. Rip ainda estava confuso."Não entendo. Como uma folha pode ser tão importante?". Era apenas uma folha afinal. Seu olhar estava totalmente focado nela. Estava ignorando todo o resto que havia em volta e ainda assim quase não a enxergava. O que há de tão grandioso nela? Porque Rep tanto a admirava?

A folha nem era dona de si. Estava amarrada a uma árvore. Essa sim, grandiosa, importante. Seus olhos perderam a folha de vista para apreciar aquele gigante. "Uma árvore tem centenas e folhas.", constatou. E realmente, uma árvore era dona de muitas folhas. Rep não se mexeu. Era ela que tinha dificuldades de entender, achou.

Parou de admirara a árvore e visualizou o esplendor de dezenas, talvez centenas de árvores, por toda a grande floresta. Isto sim era extraordinário, digno de admiração. E completou: "E a floresta tem milhares delas". Sim, se uma árvore era dona de tantas folhas, o que dizer então de uma floresta tão grande?.

Voltou a focar em uma folha qualquer. Ainda não entendia. Não havia realmente o que entender. Já havia chegado à suas próprias conclusões. Dessa vez, quando falou, não foi para Rep ouvir. Apenas deixou escapar. Falou em voz alta: "Uma folha é insignificante de todo o resto". 

Mas desta vez, Rep prestou atenção. Sentiu que precisa fazer o amigo entender. "Mas não existe árvore nem floresta", disse.
Rip quase não conseguiu retrucar. É óbvio que ambos existiam. Não só existiam como era o que mais importava. "O que existe, então". Se não existe tamanha grandiosidade, o que mais existiria alí? O que era aquilo tudo à sua frente afinal?


Rep, sem nem virar o olhar uma vez sequer, continuou tranquila olhando pra frente e respondeu: "Incontáveis folhinhas".




THE LEAFS

The Leafs

quarta-feira, 3 de agosto de 2016

A FOLHA



TEXTO DESCRITIVO

Rip estava sentado na colina olhando a floresta ao longe. Rep estava de passagem quando viu Rip sentado ali, concentrado na paisagem. Rip não tirava seu olhos da floresta.

Rep se sentou. Rip deixou de se concentrar na floresta inteira e mudou seu foco para uma árvore que ficava mais próxima. Ele percebeu a presença de Rep e resolveu compartilhar da sua reflexão.

Percebendo a possibilidade com a ilusão de ótica, Rip voltou a olhar para a floresta como um todo, perdendo de vista aquela árvore na qual se concentrou. Ele então deixou sair as palavras, sabendo que Rep estava ali para ouví-las: “Quem vê a floresta não vê a árvore.”

Deu uma pausa, sabendo que já havia conseguido a atenção de Rep. Seu olhar encontrou novamente aquela árvore que parecida perdida no meio de todo o verde e completou: “Quem vê a floresta não vê a árvore”.

Ele estava orgulhoso. Já conhecia bem o provérbio. Não era de autoria dele, é claro. Mas se parabenizou silenciosamente de ter conseguido encontrar o local e o momento certo de fazê-lo valer e não perder essa oportunidade. Era sim dele, o mérito de capturar o momento e não deixá-lo escapar. Sabia, ou pelo menos, imaginava que Rep estava admirada com o quanto ele era sábio em saber usar tais palavras. Não, tinha certeza. Era o que passava pela sua cabeça.

Mas Rep não falou nada, ficava só olhando para a floresta sem dizer uma palavra. Parecia fingir que não tinha ouvido. Ele olhou para ela. “Não deve ter entendido o que isso significava”, pensou. Mas Rep não parava de olhar para a floresta. “Será que ainda estava refletindo sobre a profundidade daquilo que foi dito?“. “Talvez não tivesse ainda alcançado o qual amplo era aquele ditado...”. Não aguentou e perguntou: “O que está fazendo?”.

Rep Não parava de olhar. É claro que havia entendido. Mas ela ia mais além. Ela enxergava muito mais do que palavras feitas. Afinal, tinha opinião própria e muito bem formada. Rep não tirou os olhos de aonde estava olhando. Com simplicidade e se fazendo entender sem ter que se explicar, ela apenas disse: “Estou admirando aquela folhinha.”



THE LEAF



sexta-feira, 29 de julho de 2016

FAZ DIFERENÇA?



Rip e Rep, andando, chutando, lata, machucado, faz diferença, prédios, sol, arvore




TEXTO DESCRITIVO:



Rip e Rep estavam passeando pela rua. Era tarde e fazia sol. Ele avistaram uma latinha amassada jogada no chão.


Rip não não exitou. Assim que passou pela latinha ele a chutou. A latinha quicou e rodou. E enfim caiu no chão para voltar a ficar  jogada.

Rep viu aquilo  e não conseguiu se conter. Falou, transtornada: “Por quê você chutou? Não era melhor achar uma lixeira e jogar fora?”.
Rip nem se deu ao trabalho de virar para olhar Rep. Sem perceber seu desapontamento continuou andando e respondeu meio que sem pensar: “Não ia fazer diferença mesmo...”

Rep não teve dúvidas. Sabia muito bem o que fazer. Moveu o para trás e depois para frente. Preparou-se e bicou Rip com todas as forças. Rip quicou e rodou, muito surpreso.

Estatelado no chão, ralado,com dores e torto, ele viu Rep se afastar. Se indagou sem ter a noção do porque foi atingido. Se sentiu a latinha no chão.
Então perguntou: “Pro quê você chutou?”. Rep respondeu quase que imediatamente, a cereja no bolo sabor “satisfação”: “Não ia fazer diferença mesmo...”.


MAKES DIFFERENCE?



Make Difference?



segunda-feira, 25 de julho de 2016

DESGOSTOSO COM O MUNDO

água, alegre, desgosto com o mundo, pesca, quadrinhos, Rip e Rep, sentado, sorriso, triste
Rip e Rep - Desgostoso com o Mundo


TEXTO DESCRITIVO

Rip e Rep estavam sentados em um pequeno cais. Apoiados um nas costas do outro, estavam em silêncio. Rip estava triste. Olhava para água, sem nem mais lembrar que estava pescando. 

Sua desolação era palpável a ponto de Rep, embora de costas, perceber que algo estava errado. "Porque a tristesa, Rip?" perguntou.

Rip continuou olhando para o azul da água. Não estava a fim de conversa. Não queria ter sido notado. Não esperava que Rep percebesse nada, e também não queria deixá-la sem resposta. "Estou desgostoso com o mundo. Nada que faço dá certo..." respondeu de coração exposto. 

Rep não teve pena. Já o conhecia e já sabia que só havia um jeito daquele burro subir a ladeira: "Com esse negativismo nem os peixes vão ficar perto. Seja paciente e dê um sorriso que as coisas logo melhoram."

Rip se tocou. O azul escuro e turvo da água deu lugar ao branco do céu e do brilho do sol.

Rep tinha razão. Não havia porque ficar se lamentando. se as coisas não vão bem, dá-se um jeito, ora bolas! respirou e fez um esforço. Um sorriso começou a se rabiscar no rosto. Fez o que Rep disse. Foi paciente. 

 A vara de pescar, que ele nem ligava mais começou a tremer e sacudir. Surpresa. Os peixes voltaram a se aproximar.



DISGUSTED WITH THE WORLD

water , cheerful, disgust with the world, fishing, comics, Rip e Rep , sitting , smile , sad
Rip e Rep - Disgusted with the World

Há muito tempo sempre quis publicar alguma coisa.
Desde criança, sempre quis publicar uma hq ou algo assim.
esse sonho foi se perdendo e eu caminhando para rumos mais "sérios", mas a vontade sempre ficou.
Com o crescimento da internet, essa ideia foi voltando aos poucos.
Mas o tempo foi ficando cada vez mais curto. Só que o engraçado é que quando mais curto fica o tempo, mais a vontade cresce.
E o tempo ficou curto demais, a vontade cresceu demais e explodiu.
E aqui estou eu, com pouquíssimo tempo, publicando minha primeira postagem antes de dormir.

Rip e Rep são dois companheiros, um pessimista e a outra otimista, respectivamente.
Questionando sobre a vida e seguindo em frente, de um jeito ou de outro, porque não tem outro jeito.
Espero que goste das pequenas histórias deles.
É a primeira vez que me comprometo com algo assim, e tenho esperança de conseguir publicar uma história por semana.
Fico grato se você comentar sua opinião nas historinhas.
Vamos ver até onde vai a jornada desses dois.


Rip e Rep - traçado

Marcio Alves
Desenvolvedor de Sistemas e "rabiscador" nas horas vagas.

Google+ Badge